Política Externa

Onde está o meu voto? (As eleições no Irã )

por em 10/09/2009

As eleições presidenciais no Irã tiveram seus resultados fortemente contestados no país e fora dele. Apesar disso, constituem-se passo importante no processo que o regime instituído há trinta anos com a Revolução Islâmica desenvolve para obter alguma legitimidade internacional. É certo que houve fraude. Mas não é seguro se a fraude interferiu na defi nição do vencedor do pleito. Que haja esse tipo de dúvida após uma campanha surpreendentemente livre comprova como é difícil conciliar instituições republicanas com uma ordem social conservadora fundamentada no Corão e na Charia. De qualquer modo, a sociedade civil iraniana sai das eleições mais forte do que entrou.

The recent Iranian elections had their results highly contested inside and outside the country. Despite that, they constitute an important step on the way of the 30 years old regime installed with the Islamic revolution to obtaining some international legitimacy. It is for sure that there was fraud. But it is not certain if such fraud interfered in the definition of the ultimate winner. Such doubts after an unusually open and free electoral campaign stress how difficult it is to conciliate republican institutions with conservative social order founded on the Khoran and the Sharia. The consequences of these turbulent days are still to be seen but there is no doubt that civil society in Iran has showed much vigor and the modernizing segments in the country left the elections stronger than before.

Para continuar lendo esta matéria é necessário ser assinante da Política Externa

Já sou assinante Faça a sua assinatura
Esta matéria faz parte do volume 18 nº2 da revista Política Externa
Volume 18 nº 2 - Set/Out/Nov 2009 O Islã e o Mundo

A islamização da agenda

Ver detalhes desta edição Assine o acervo
Voltar Topo

Comentários