Política Externa

Caminhos profissionais do internacionalista: A experiência dos graduados pela USP

Nota sobre os resultados de levantamento sobre o destino profissional de egressos do curso de graduação em relações internacionais do IRI-USP mostra que pouco mais de um terço deles foi cursar pós-graduação, pouco mais de um quarto foi trabalhar em empresas privadas, pouco menos de um quarto foram para instituições públicas fora da carreira diplomática e cerca de 10% foram para organizações não-governamentais.

Probably because the offering of BA degrees in international relations is a relatively new process in this country, little is known about what has been the professional destination of those who have graduated from these courses. As more and more colleges and universities have been opening courses in this area and the amount of students and graduates increases every year, it is relevant to have an idea of how the job market has been receiving them. This note shows the results of a survey done with students who have obtained their BA in IR at the University of São Paulo. Although it does not authorize broad generalizations, it offers some signals about this relevant issue.

Para continuar lendo esta matéria é necessário ser assinante da Política Externa

Já sou assinante Faça a sua assinatura
Esta matéria faz parte do volume 20 nº2 da revista Política Externa
Volume 20 nº 2 - Set/Out/Nov 2011 O papel atual do Brasil na América do Sul

O papel do Brasil na América do Sul: estratégias e percepções mútuas

Ver detalhes desta edição Assine o acervo
Voltar Topo

Comentários