Política Externa
Vol. 21 nº 2 - Set/Out/Nov 2012 Vol. 21 nº 2 - Set/Out/Nov 2012

Índice remissivo de 20 anos de Política Externa

O mundo depois da Rio +20. Leia mais

Conteúdo desta edição

  • Editorial
  • Artigos
  • Documentos
  • Livros
  • O mundo na ficção
  • Passagens

Carta dos editores

Esta edição traz o índice remissivo de 20 anos desta Revista, que atualiza o primeiro, publicado no número 4 do volume 15, graças à iniciativa do então editor, o saudoso Gilberto Dupas.

Naquela ocasião, a propósito da abrangência e profundidade da temática tratada pela Revista constatáveis no índice, a Carta dos Editores dizia que “a amplitude dos assuntos e a variedade de seu espectro ideológico – sempre respeitada a qualidade exigida pelo padrão editorial da publicação – (eram) um testemunho da dimensão pública de Fernando Gasparian”, que havia falecido pouco tempo antes de aquela edição chegar aos leitores. O índice dos 20 anos reforça esse testemunho em relação a Gasparian e amplia-o para também incluir Dupas, que nos deixou em 2009.

O tema central deste número é uma avaliação da Rio+20, que ocorreu este ano no Rio de Janeiro. Ela é feita por um grupo de analistas que a acompanhou de perto: o embaixador André Aranha Corrêa do Lago, um dos responsáveis no governo brasileiro pela realização do evento, o embaixador Luiz Filipe de Macedo Soares, que teve importante participação nas conferências de Estocolmo em 1972 e do Rio em 1992 (e, assim, nos dá uma perspectiva histórica relevante), o economista José Eli da Veiga, estudioso dos temas do ambiente, que escreveu para o jornal Folha de S. Paulo diariamente sobre a reunião, a jornalista Daniela Chiaretti, repórter especial do jornal Valor Econômico, que a cobriu para sua publicação, e o doutor em Ciência Política pela USP Alcindo Gonçalves. O tema da Rio+20 também aparece na seção “Documentos”, que transcreve a íntegra do abaixo- -assinado de intelectuais intitulado “O Futuro que Queremos”, divulgado ao público ao final da reunião.

Dois dos assuntos mais quentes no mundo na atualidade são tratados por autores importantes. A crise da Europa, que coloca em risco uma das mais interessantes experiências de integração regional da história, é discutida pela cientista política e economista Lourdes Sola. E a dramática situação da Síria por Paulo Sérgio Pinheiro, presidente da Comissão Independente Internacional de investigação sobre a Síria, estabelecida pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU, em 11 de setembro de 2011. A questão da Europa também aparece na seção “Livros”, em uma brilhante resenha de três importantes trabalhos recentes sobre o assunto, elaborada pela economista Helga Hoffmann.

Dois temas prioritários na agenda do comércio internacional estão na pauta desta edição sob a responsabilidade de dois pares de grandes especialistas no assunto. Welber Barral e Rubens Gama discutem diplomacia comercial no século XXI, seus objetivos e definições, e Daniel Furlan Amaral e Emerson Coraiola Kloss cuidam dos requisitos de sustentabilidade no comércio internacional de biocombustíveis.

O conselheiro da Revista Roberto Teixeira da Costa nos traz um texto sobre as tendências globais para os próximos 18 anos, a partir do trabalho de um grupo de pesquisadores da European Strategy and Policy Analysis System do ISS (European Union Institute of Strategic Studies), do National Intelligence (Washington) e do Atlantic Council.

Em “O Mundo na Ficção”, a economista Monica Baumgarten de Bolle resenha o livro A vontade e a fortuna, romance de Carlos Fuentes, que morreu este ano e foi homenageado por esta Revista na sua edição anterior. Outro livro resenhado neste número é The Myth of American Exceptionalism, de Godfrey Hodgson, em texto do diplomata Alexandre Vidal Porto, em sua primeira contribuição para esta Revista.

Bernardo Sepúlveda Amor, que foi secretário das Relações Exteriores do presidente Miguel de la Madrid e desde 2006 é juiz da Corte Internacional de Justiça, escreve sobre o estadista mexicano a quem serviu, e que faleceu este ano, para a seção “Passagens”.

Finalmente, na seção “Documentos”, dois textos do presidente Fernando Henrique Cardoso, um seu discurso de aceitação do Prêmio Kluge, que recebeu em julho, outro o discurso de recepção de Celso Lafer como Professor Emérito do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo, que ele pronunciou em agosto. O discurso do ex-ministro das Relações Exteriores Celso Lafer nessa cerimônia em que foi homenageado também está transcrito nesta seção, que se encerra com o d iscurso na cerimônia de 30º aniversário do Inter-American Dialogue, feito pelo ex-presidente do Banco Mundial Robert Zoellick.

Os editores

Voltar Topo
Mais Política Externa
Assine a Newsletter

Receba semanalmente os últimos acontecimentos da Política Externa em sua caixa postal. Cadastre-se gratuitamente.